sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Nem é março ainda

É Tom, vem chegando as ditas águas.
O que será que elas vão levar dessa vez?
O que elas vão lavar?
Tanta chuva, tanto chão, tanto cimento.
Tanta luta, tanto não, tão ciumento.

Nem é março ainda, e chove.
Vai tanto lixo, tanto riso.
Tanto móvel, tanto corpo.
Vai folha, vai rolha, vai carretel.

Pelas valetas a água corre,
deixo alguns sentimentos.
Quero que vá se embora.

Mas pra tanto amor
essa chuva é pouca.

A água vai - o amor fica.

- Caio Augusto Leite

Um comentário:

  1. Bom como sempre. E eu me pergunto cadê as narrativas ?

    ResponderExcluir