quinta-feira, 21 de junho de 2012

Menino brincando de quebra-cabeça


Não comunico meus poemas em cartas burocráticas,
pois não existem meus poemas,
que certificado de propriedade é esse
que vocês usam?

Não sou dono das palavras,
elas sempre estiveram aí
prontas para criarem os poemas
ou seria apenas para revelá-los?

Larga o orgulho de lado,
não há maestria e nem genialidade.
As palavras só foram bondosas
ao exibirem, para você, a nudez fundamental.

Poeta! Vê se pode tamanha ousadia.
Pateta é a medida certa e única que lhe veste.
Patético ser que acredita que as vertigens do estômago
são as belezas que ao papel dedica, mas é tudo obra da palavra
e da escandalizada forma que permanece fugitiva.

- Caio Augusto Leite

Um comentário:

  1. Compartilhamos de uma opinião parecida. Gostei dos versos, das palavras.

    ResponderExcluir